Cadeia do frio – Portas Rápidas evitam perdas na indústria de alimentos

Um dos grandes desafios das indústrias no Brasil, e no mundo, é a gestão correta da cadeia do frio. Também conhecida como rede de frio, cadeia frigorífica, ou cold chain, ela consiste na manutenção de determinada temperatura durante todo o processo produtivo, garantindo a integridade e qualidade dos alimentos.

Veja abaixo as etapas que compõe a cadeia do frio:

  • Produção
  • Armazenamento
  • Transporte
  • Venda
  • Consumo

Em todas as etapas é essencial ter ambientes adequados a preservação dos alimentos sensíveis às oscilações térmicas, controlando as variáveis que influenciam na qualidade dos produtos alimentícios, como a ação química, enzimática e o crescimento microbiano.

Cada cadeia fria deve ser configurada de acordo com a condição ideal para manipulação ou estocagem de cada alimento:  

  • Temperatura controlada (entre 10ºC e 18ºC): produtos como frutas, vegetais, sementes e alguns de seus derivados.
  • Resfriado (entre 0ºC e 10ºC): indicado para produtos como laticínios, carnes frescas, embutidos, hortaliças e oleaginosas.
  • Congelado (entre 0ºC e -25ºC): para alimentos congelados em geral, como carnes, sorvetes, pizzas, lasanhas, tortas, etc.
  • Túnel de Congelamento (acima de -25ºC): muito utilizado na indústria para congelamento rápido dos produtos, que entram nesse ambiente com a temperatura em que foram fabricados e saem congelados na temperatura na qual devem ser mantidos. 

Portas Rápidas – Boas Práticas que geram resultado

Com base em nossa experiência de mais de 17 anos de mercado, auxiliando empresas a isolar corretamente ambientes industriais, compartilhamos algumas boas práticas que reduzem a perda de insumos e produtos alimentícios.

Adequação – O local de armazenagem deve ser adaptado para a manutenção constante da temperatura indicada, evitando que o produto tenha alterações em suas propriedades físicas e químicas:

  • O alto nível de vedação evita a variação de temperatura e a entrada de agentes externos;
  • Invista em portas com isolamento térmico. São a melhor opção para o armazenamento de congelados.

Controle – Realização do controle e registro das condições de temperatura e umidade do ar:

  • É importante estabelecer processos de controle e de checagem das informações;
  • Os melhores resultados foram obtidos ao utilizar portas rápidas automatizadas, controlando a entrada e saída do ambiente. É possível configurar o tempo de abertura e fechamentos de acordo com o processo de produção ou fluxo de estocagem de cada indústria. O tempo de abertura é automatizado e reduz a troca de ar quente/frio entre os ambientes. Ao utilizar portas convencionais, é comum esquecê-las abertas durante a movimentação dos produtos.

Manutenção: Além da checagem periódica das condições do ambiente é necessário realizar a manutenção periódica dos equipamentos. Entre eles: evaporadores, condensadoras, tubulações, fluidos de refrigeração, estruturas de vedação e portas.

  • Ao escolher fornecedores de produtos e equipamentos fique atento ao pós-venda, confirme se a empresa possui equipe própria ou qualificada para realização de reparos e manutenções;
  • O ideal é antecipar os problemas, evitar falhas no armazenamento e consequentemente perda de produtos.

Produtos SEBRAS mais aplicados na gestão da cadeia do frio

Porta Fast Roll Cold – Porta automática de enrolar, indicada para locais com temperaturas entre -25° e 60ºC.

Porta Open Fast Cold – Porta automática de empacotar, indicada para locais com temperaturas entre -35° e 60ºC.

A SEBRAS Portas Rápidas oferece diversas soluções para o isolamento de ambientes industriais que realizam a manipulação e armazenamento de produtos frios. Temos rede disponível para atendimento, instalação e manutenção preventiva em todo o Brasil. 

Entre em contato conosco para saber mais!